Publicidade

Economia brasileira deve ter o melhor fim de ano desde 2014



Economia brasileira deverá ter o melhor fim de ano desde 2014
Publicidade

Final de ano está chegando e uma boa notícia animou os economistas com dados divulgados nesta terça-feira (24) que mostra que desde 2014 o Brasil não tinha uma economia tão boa no final de dezembro.

Segundo especialistas e dados divulgados pelo G1, esse impulso na economia brasileira tem ligação com a liberação do saque do FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço), sendo fundamental para que o comércio voltasse a dar uma guinada, justamente quando o país mais precisa.

Além disso, esses dados de melhora na economia brasileira no final do ano desde 2014 foi confirmada por uma matéria do jornal O Estado de S. Paulo, mostrando que 2020 deve começar bem aquecido, e com grandes perspectivas positivas.

Publicidade

Mas o que significa isso em números? De acordo com especialistas, o PIB (Produto Interno Bruto) pode chegar a casa dos 8% em resultado final medido neste último trimestre, bem positivo em relação a outros anos.

Se em anos anteriores o Brasil tivesse esses mesmo crescimento, os resultados apresentados na época ficaria na casa dos 3%.

Mas, todo o começo do ano sofre uma desaceleração na economia entre os meses de janeiro e março, época essa que as pessoas deixam de consumir e dedicam o orçamento para pagamento de contas que foram feitas no final do ano, ou aquelas fixas, como IPVA, matrícula dos filhos etc.

Publicidade

Outro aspecto fundamental para essa alavanca na economia brasileira no final do ano está os dados divulgados pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), onde cerca de 99 mil vagas de emprego com carteira assinada foram criadas apenas em novembro.

Quais fatores impulsionaram a economia brasileira?

Economia brasileira deverá ter o melhor fim de ano desde 2014
Economia brasileira deverá ter o melhor fim de ano desde 2014 – Foto: Pixabay

Isso demonstra que o Brasil voltou a ter um bom público consumidor, fundamentais para o crescimento da economia e impulsão de diversas áreas.

E com mais pessoas no mercado de trabalho, dados da FGV deixam claro que o consumo aumenta cerca de 2,8% neste final de ano em comparação a 2018, tendo uma média de 2% na soma do ano todo.

Publicidade

Outros fatores que ajudaram o crescimento da economia é um cenário mais otimista, que inclui uma estabilização da economia global agregada a queda da taxa de juros que vem rondando 2020.

Publicidade