24 de Dezembro de 2019, atualizado ás 17:12

Crise mundial continuará a impulsionar a demanda internacional da pecuária brasileira



Por: | Finanças

Compartilhar:
         

Se você acha que o valor da carne pode cair no começo de 2020, a péssima notícia para os brasileiros é que, devido ao cenário mundial e a crise de exportação de alguns países, o valor ainda continuará alto para o consumo no Brasil.

Essas informações foram confirmadas pela Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), que nesta terça-feira (24) divulgou um relatório que mostra um aumento de 14% no volume de carne bovina exportada.

Assim, segundo esses dados, o valor da carne de boi ainda ficará salgado para os bolso brasileiros e proveitoso para as empresas que ganham com a exportação do produto para países necessitários, como é o caso da China.

No caso das exportações brasileiras de carne suína, para 2020 esse aumento deve significar cerca de 20%, visto que o Brasil é o único país que tem capacidade para produzir e suprir a necessidade interna e trabalhar ainda com grande exportação.

Exportação do frango e lácteos podem sofrer alta nas exportações

Crise mundial continuará a impulsionar a demanda internacional da pecuária brasileira – Foto: Pixapay

Falando sobre a China, que foi a grande causadora do aumento do preço da carne bovina no Brasil, segundo reportagem do G1, o aumento da exportação também será para o frango, impulsionando 5% das exportações globais do Brasil.

Outro alimento que vem tendo grande avanço nas exportações são os lácteos, que mesmo tendo uma saída menor que as carnes, também vão representar um avanço para 2020.

Isso se dá a redução dos estoques mundiais, o atual momento de estabilidade de preços dos principais países exportadores, como Argentina, Nova Zelândia, EUA, UE e Uruguai.

Já para o pescado, a tilápia teve nos últimos meses um crescimento de 150% na venda de produtos congelados, chegando a exportação de 250 mil toneladas.

Isso tudo é sentido graças a alta demanda externa, além da valorização, produção e o preço oferecido pelo mercado brasileiro.




Raquel Luciano

  

0 Comentários